jump to navigation

A polêmica das células-tronco maio 31, 2008

Posted by loscarrj in cultura.
Tags: , , , ,
1 comment so far

Antes tarde do que nunca. O Brasil é um país que ás vezes parece ter medo do avanço. Quando se trata de ciência e tecnologia então, colocam até Deus no meio, como se Ele não quisesse o nosso bem. Pois bem, vocês devem estar se perguntando porque eu estou falando nisso. Essa semana acompanhei o processo de aprovação de estudos científicos com células tronco, fato que já se arrastava há algum tempo e só foi sair do lugar agora. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, divulgou nota nesta quinta-feira comemorando a declaração de constitucionalidade da lei que permite a pesquisa de células-tronco no país.

O Brasil poderá integrar também o consórcio internacional de células tronco, que reúne 21 institutos de pesquisa nessa área em todo o mundo. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil é o primeiro país da América Latina a permitir as pesquisas de células tronco e, no mundo, passa a ser o 26º. Ele entra no rol de países como Finlândia, Grécia, Suíça, Holanda Japão, Austrália, Canadá, Coréia do Sul, Estados Unidos, Reino Unido e Israel.

Tudo bem, eu sei que isso todos viram nos noticiários. Agora eu me pergunto: quantos sabem o que quer dizer célula tronco e o que isso mudaria em nossas vidas?

“As células-tronco, também conhecidas como células-mãe ou células estaminais, são células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a células semelhantes às progenitoras.

As células-tronco dos embriões têm ainda a capacidade de se transformar, num processo também conhecido por diferenciação celular, em outros tecidos do corpo, como ossos, nervos, músculos e sangue. Devido a essa característica, as células-tronco são importantes, principalmente na aplicação terapêutica, sendo potencialmente úteis em terapias de combate a doenças cardiovasculares, neurodegenerativas, diabetes tipo-1, acidentes vasculares cerebrais, doenças hematológicas, traumas na medula espinhal e nefropatias.

O principal objetivo das pesquisas com células-tronco é usá-las para recuperar tecidos danificados por essas doenças e traumas. São encontradas em células embrionárias e em vários locais do corpo, como no cordão umbilical, na medula óssea, no sangue, no fígado, na placenta e no líquido amniótico. Nesse último local, conforme descoberta de pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Wake Forest, no estado norte-americano da Carolina do Norte, noticiada pela imprensa mundial nos primeiros dias de 2007.

Há duas possibilidades de extração das células estaminais. Podem ser adultas ou embrionárias:

  • Embrionárias – São encontradas no embrião humano e são classificadas como totipotentes ou pluripotentes, devido ao seu poder de diferenciação celular de outros tecidos. A utilização de células estaminais embrionárias para fins de investigação e tratamentos médicos varia de país para país, em que alguns a sua investigação e utilização é permitida, enquanto em outros países é ilegal. Atualmente no Brasil o Supremo Tribunal autorizou tais pesquisas.
  • Adultas – São encontradas em diversos tecidos, como a medula óssea, sangue, fígado, cordão umbilical, placenta, e outros. Estudos recentes mostram que estas células estaminais têm uma limitação na sua capacidade de diferenciação, o que dá uma limitação de obtenção de tecidos a partir delas.”

Fonte: Wikipédia

 

Luta contra o cigarro maio 27, 2008

Posted by loscarrj in Brasil.
Tags: , , , , , ,
3 comments

As imagens são bem fortes e é nisso que o Mnistério da Saúde aposta para frear o consumo de cigarros. O Ministério e o Instituto Nacional de Câncer (Inca) lançaram, nesta terça-feira ( 27 de maio), novas imagens que deverão ser usadas em embalagens de cigarros. O evento faz parte das comemorações do Dia Mundial sem Tabaco, que acontece no próximo sábado. Segundo o Governo federal, as fotos e mensagens foram selecionadas com base em um estudo sobre o grau de aversão que a campanha pode alcançar.

A pesquisa, feita entre 2006 e 2008, mediu a reação de 212 jovens entre 18 e 24 anos, fumantes e não fumantes, de três faixas de escolaridade (ensino fundamental, médio e superior).